Tate Modern: não dá para não ir

Festa abertura - Tate Modern
Festa abertura – Tate Modern

5 razões por que eu adoro :

2642261256_6fdafacd001. A sala da turbina impressiona com qualquer instalação1728421687_58c7263b52

2. A coleção permanente inclui obras dos principais pintores ocidentais do século XX

3. É grátis

4. O bar/restaurante localizado no sétimo andar oferece uma vista maravilhosa do rio Tâmisa e da Catedral St.Paul

5. O Steve participou do projeto de iluminação do prédio na festa de abertura da galeria em 2000

Tate Modern HQ (MPEG-1)

Dica de passeio:

No píer em frente à Tate Modern (Bankside pier), pegue este charmoso barco Tate-to-Tate – cujas bolinhas foram idealizadas pelo artista inglês Damien Hirst – e vá até a galeria Tate Britain apreciando os cartões postais de Londres a partir de uma nova perspectiva. O barco é super confortável e tem uma lanchonete.

O serviço interligando as duas galerias funciona das 10:00 às 17:00 horas, em intervalos de 40 minutos, e o trajeto é percorrido em 20 minutos. O bilhete pode ser adquirido na bilheteria da galeria ou no próprio barco por ₤5,00 (com travelcard ₤3,35).

boat_bridge
Da Tate Modern para a Tate Britain

Tate Modern:

Bankside, Londres

Aberta de domingo à quinta-feira de 10:00 às 18:00

Sexta-feira e sábado de 10:00 às 22:00

Para ver outras dicas de Londres, visite nosso novo blogue, Londres para Principiantes.

Estação de metrô mais próxima: Southwark



4 October, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment

Vai de táxi em Londres?

180px-London_Cab

Há dois tipos de táxi em Londres: os tradicionais black cabs (foto) e os minicabs que são, na verdade, carros normais com motorista que têm licença para transportar passageiros.

Os táxis tradicionais são os únicos que podem pegar passageiros na rua. Já os minicabs devem ser requisitados por telefone. Normalmente, os hotéis fornecem uma lista com telefones de empresas confiáveis de minicab. Eles não têm taxímetro, o preço da corrida é informado ou combinado previamente. É importante verificar a licença quando for usar o serviço de minicab, e recomenda-se não pegarminicabs na rua, somente os que forem contratados por telefone, de empresas confiáveis.

Quanto custa uma corrida de táxi em Londres?

Para saber quanto vai custar sua corrida em um táxi tradicional, vá a este site e informe o lugar de partida (from) e o de chegada (to) e clique em Let’s go!. Se quiser, informe também a hora aproximada (when?), pois à noite a tarifa é maior:

taxifare2

Você vai saber a tarifa em dia útil e em final de semana (weekend). Aparecerá também um mapa com o itinerário. Meus informantes que já utilizaram o serviço garantem que a informação é bem precisa

taxifareA respeito dos black cabbies em Londres:

  • É comum dar uma gorjeta ao motorista, em torno de ₤1 libra, ou arredondando para o valor inteiro.
  • Há um acréscimo de ₤2,00 se o táxi for pedido por telefone.
  • Os táxis acomodam até 5 passageiros sem que seja cobrada taxa extra. Sendo assim, pode ser uma opção econômica de transporte para quem está viajando em grupo.

Foto: www.wikitravel.com

Para ver outras dicas de Londres, visite nosso outro blogue, Londres para Principiantes.



25 September, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment

Como ir de Heathrow ao centro de Londres

heathrow expres

O aeroporto de Heathrow (LHR) é um dos mais movimentados do mundo e é lá que os voos diretos do Brasil aterrizam. O voo da TAM chega no Terminal 4 e o da British Airways no novo Terminal 5, inaugurado em 2008.

O aeroporto está a cerca de 30 km do centro de Londres e oferece ao viajante várias opções de transporte para o centro da capital. As principais opções são:

1 Trem Heathrow Express: a forma mais rápida para chegar ao centro. Em 15 minutos, é percorrido o trajeto do aeroporto até a estação Paddington, no centro de Londres, sem escalas.  Há duas estações no aeroporto: uma no Terminal 5 e outra que serve os Terminais 1-3 (Heathrow Central). Chegando no Terminal 4, é preciso trocar de trem, mas isso é feito de forma rápida e não é cobrado nada extra.

O preço da passagem é ₤16,50 (₤32,00 para ida e volta) se comprada na máquina no próprio aeroporto, ou ₤19,50 se comprada dentro do trem. O jeito mais fácil de adquirir a passagem, no entanto, é online, antes de sair de casa no Brasil. Basta imprimir o bilhete eletrônico com código de barras para apresentar ao cobrador quando pedido. Ao chegar na estação, é só esperar pelo trem e embarcar.

Para encontrar o local de embarque, siga as placas:

Follow signs for Trains

O Heathrow Express funciona das 5:00 às 24:00, com um trem a cada 15 minutos, mais ou menos. Veja os horários aqui.

Chegando à estação de Paddington, pegue um táxi ou metrô para seu destino.

tube 2 Metrô: Em qualquer dos terminais de Heathrow, há estação de metrô. A linha azul escura (Piccadilly) conecta o aeroporto ao centro de Londres e ao restante do sistema de metrô da cidade.   É bem mais barato que o Heathrow Express, mas demora bem mais (aproximadamente 1 hora até Piccadily Circus). Como a viagem começa em Heathrow, é tranquilo achar lugar para sentar e acomodar as malas não fica tão difícil.

O horário de funcionamento do metrô é semelhante ao do trem, porém as saídas são mais frequentes. Além de ser mais barato que o trem, a vantagem do metrô é que,  dependendo do destino final do passageiro no centro de Londres, é possível descer já na estação mais próxima, caso seja uma das muitas estações da linha Piccadily.

Uma passagem única (single) para o centro de Londres (Zona 1) custa ₤4,00 e pode ser adquirida na estação do aeroporto.

3 – Trem Heathrow Connect – é um trem parador, mais lento (25-30 minutos) e mais barato (₤7,90) que o Heathrow Express. O destino final também é a estação de Paddington, no centro de Londres. Para quem vai para o oeste de Londres, e tem como destino final uma destas estações, é uma boa opção:

heathrow connect

4 Ônibus especial – a National Express faz a ligação entre o terminal rodoviário do aeroporto e a estação de ônibus de Victoria, por ₤4,00. A viagem leva de 40 minutos a 1,5 hora dependendo do trajeto e do trânsito. Os serviços a partir de Heathrow iniciam-se às 5:30 e se estendem até às 21:30. É uma boa opção para quem vai para outras cidades da Inglaterra, ou para os outros aeroportos (há conexões para Gatwick, Stanstead e Lutton). Mais detalhes aqui.

5 Táxi – como em todo aeroporto, há filas de táxi na saída do terminal. O táxi tradicional (black cab) é o mais caro, e uma viagem até o centro da cidade custa pelo menos ₤60,00, e pode demorar bem mais de uma hora, dependendo do trânsito.

6 Ônibus noturno – Entre meia-noite e 5:30, a única opção de transporte público (além do táxi) é o ônibus noturno N9, que tem como destino final a Trafalgar Square, no centro de Londres. A viagem dura aproximadamente 1 hora, e custa ₤1,50.

Welcome to London!

Mais dicas de Londres no nosso blogue Londres para Principiantes.

Fotos: http://www.heathrowairport.com



7 September, 2009 | Written by Eneida | Comments: 4 Comments

London’s Public TransportTransporte em Londres: uma introdução

One of the questions I’m often asked is “What is the metro like in London?”

tube_CHE02344d

First, there are several public transport systems in London, most of which are now managed by the city council. There is the London Underground, which Londoners call the “The Tube”, and it has 12 separate lines. The tube network is mainly in the north half of the city because of London’s geology. This system starts operating at around 5:30am and runs until about 12:30am seven days a week. The trains depart central London stations at about 2-3 minute intervals during peak times, and 7-8 minute intervals in off-peak times. Contrary to general opinion, much of the Tube is above ground, particularly away from the central zones. See the tube map.

There are also plenty of London buses, including the famous red double-deckers. Their routes extend across the whole of London and operate for similar hours to the tube. However, there are also night buses. These night buses run along similar routes to some of the day buses but have a reduced frequency. You can get on a night bus from about midnight in central London and take it to your neighbourhood in the suburbs.

Additionally, there are also river buses in central London, but they aren’t generally used by Londoners.

Finally, and definitely not least importantly, there is the National Rail network or over-ground train system. This is operated by many different companies and the trains depart from many central London terminus stations like Waterloo, King’s Cross, St Pancreas, Victoria and Paddington.

The southern half of London is mainly served by this overland network rather than the Tube. Therefore, if you look at the famous Tube map, don’t be fooled into thinking this is the complete ‘train’ network. There are in fact, probably, twice as many stations with the other 50% appearing on the ‘London Connections’ map.

To use this network, you can buy single tickets to go from place to place, or you can buy daily, weekly or monthly tickets or even an oyster card from any of the stations or other points of sale such as newsagents. The cost of travel depends on how far you travel. The entire network is divided into 6 principal zones. These zones are arranged as concentric ‘circles’ around the centre of London. All you need to do is buy a ticket for the zones you want to travel to and from (and any zones you pass through en-route).

 

OysterCardTo navigate on the Tube is very easy. Each line is colour coded. On the map, the stations where you can change from one line to another are shown as a circle, the non-interchange stations are shown as a ‘tag’. The direction of travel is shown on the front of each train and on signs on each platform. Additionally, it is important to know your north, south, east and west despite the fact that the platforms are labelled as northbound, southbound, eastbound or westbound. To find your way round, you simple follow the colours of the lines/signs and have a general idea if you need to go north or south.

I hope this brief introduction of getting about in London is helpful.

For further information: Transport for London

Pictures: Wikipedia and Guardian.co.ukUma das perguntas que sempre me fazem é “Como é o metrô em Londres?”

tube_CHE02344d

Para começar, há vários sistemas de transporte público em Londres, a maioria deles gerenciada pela prefeitura da cidade. Há o famoso metrô “London Underground”, que os londrinos chamam de “The Tube”, com 12 linhas separadas. A rede do Tube está localizada principalmente na parte norte da cidade devido à geologia de Londres. O sistema começa a operar às 5:30 da manhã e funciona até aproximadamente 00:30, sete dias por semana. Os trens partem das estações centrais de Londres a cada 2 ou 3 minutos durante os horários de pico, e em intervalos de 7 a 8 minutos nos outros horários. Ao contrário do que muitos pensam, grande parte do Tube não é subterrânea, principalmente nas áreas afastadas do centro da cidade. Veja o mapa do metrô.

 

Londres conta também com um sistema de ônibus: entre eles, os famosos double-deckers (ônibus de dois andares) vermelhos. As rotas se estendem por toda a cidade, e o horário de funcionamento é semelhante ao do metrô. A diferença é que existem os ônibus noturnos. Os ônibus noturnos mantêm rotas similares às de alguns ônibus diurnos, mas a frequência é menor. É possível pegar um ônibus noturno no centro de Londres a partir de meia-noite para ir aos bairros nos subúrbios.

Existem também ônibus-barco no centro de Londres, mas eles quase não são usados pelos londrinos.

E por último, mas com certeza não menos importante, há a Rede Nacional de ferrovias ou sistema de trens de superfície. Esses trens são operados por diferentes empresas e partem dos diversos terminais ferroviários de Londres como Waterloo, King’s Cross, St. Pancreas, Victoria e Paddington. A parte de Londres situada ao sul é servida principalmente por este sistema de trens de superfície e não pelo Tube. Sendo assim, não pense que a rede de “trens” que você vê no famoso mapa do metrô está completa. Na verdade, deve haver pelo menos o dobro de estações e essas outras 50% aparecem no mapa de conexões chamado “London Connections”.

 

OysterCard

Para usar todos esses tipos de transporte, você pode adquirir passagens únicas para ir de um lugar ao outro, ou pode adquirir passes diários, semanais ou mensais, ou o seu Oyster card. Eles podem ser comprados em qualquer estação ou outros pontos de venda como bancas de revistas. O custo da viagem depende da distância. A rede completa é divida em 6 zonas principais. Essas zonas são “círculos” concêntricos ao redor do centro de Londres. Você só precisa adquirir o bilhete válido para as zonas em que você quer se deslocar (e aquelas que estiverem no caminho).

É muito fácil usar o Tube. Cada linha tem uma cor diferente. No mapa, as estações em que você pode trocar de uma linha para outra são mostradas com um círculo, e as estações em que a troca não é possível não têm o círculo. O sentido da viagem é mostrado na frente de cada trem, e também aparece na plataforma. É importante saber em que sentido você quer ir (norte, sul, leste ou oeste), mas há indicação nas plataformas juntamente com os nomes das estações. Você verá “northbound” (para o norte), “southbound” (para o sul) “eastbound” (para o leste) ou “westbound” (para o oeste). Para achar seu trem, você deve seguir a cor ou o nome da linha que deseja tomar e saber mais ou menos se quer ir para o norte ou sul, leste ou oeste.

Espero que essa breve introdução ao transporte em Londres seja útil.

Fotos: Wikipedia e Guardian.co.uk



30 August, 2009 | Written by Steve | Comments: Add comment