Sunny Sunday in INHOTIMUm domingo em INHOTIM

inhotim 40

Have you ever heard so much about a place that you think it must be overrated? You’re sure you’re going to be disappointed when you finally see it. That was my feeling about Inhotim, an open-air contemporary art museum 60 km from our home in Belo Horizonte. Last Sunday we eventually managed to go there and I have to say that Inhotim is everything I heard about and more! We loved it.

When we got there, the place was very crowded, because we chose to go on a long weekend right after the opening of new exhibitions.  Later I read that on that day, Oct 11th, they had more than 4000 visitors, a record since the opening in 2006. So we stood in line for half an hour or so but we had decided to spend the day there.

The place:

Installations, sculptures and paintings by contemporary artists from the 1960s onwards are part of the permanent collection. Some are outdoors while others are housed in 16 pavilions scattered around the park. According to the museum’s website, there are 600 hectares of Natural Reserve, 45 hectares of gardens with botanical collections and 5 lakes. Nature in its exuberance, as you can see in the pictures below.

inhotim10

inhotim30

inhotim50

For us Brazilians, some names stand out like that of landscape designer Burle Marx, inspiration for the amazing gardens, and modernist artists such as Helio Oiticica, Amilcar de Castro and movie-maker Neville D’Almeida. I was also surprised to see an installation by Olafur Eliasson, whose work I’d seen in the Turbine hall at Tate Modern back in 2004. And Steve was very impressed with a sound installation by Janet Cardiff with music recorded at Salisbury Cathedral.

I want that bench!

I want that bench!

This is a place we are definitely going back, especially with our dear guests from out of state or overseas.

Centro de Arte Contemporânea de Inhotim

Opening hours:

Thursdays and Fridays: 9:30 – 4:30 pm

Saturdays, Sundays and National Holidays: 9:30 – 5:30 pm

Admission for adults: R$15.00

Click here to see how to get there.



16 October, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment

Tate Modern: não dá para não ir

Festa abertura - Tate Modern
Festa abertura – Tate Modern

5 razões por que eu adoro :

2642261256_6fdafacd001. A sala da turbina impressiona com qualquer instalação1728421687_58c7263b52

2. A coleção permanente inclui obras dos principais pintores ocidentais do século XX

3. É grátis

4. O bar/restaurante localizado no sétimo andar oferece uma vista maravilhosa do rio Tâmisa e da Catedral St.Paul

5. O Steve participou do projeto de iluminação do prédio na festa de abertura da galeria em 2000

Tate Modern HQ (MPEG-1)

Dica de passeio:

No píer em frente à Tate Modern (Bankside pier), pegue este charmoso barco Tate-to-Tate – cujas bolinhas foram idealizadas pelo artista inglês Damien Hirst – e vá até a galeria Tate Britain apreciando os cartões postais de Londres a partir de uma nova perspectiva. O barco é super confortável e tem uma lanchonete.

O serviço interligando as duas galerias funciona das 10:00 às 17:00 horas, em intervalos de 40 minutos, e o trajeto é percorrido em 20 minutos. O bilhete pode ser adquirido na bilheteria da galeria ou no próprio barco por ₤5,00 (com travelcard ₤3,35).

boat_bridge
Da Tate Modern para a Tate Britain

Tate Modern:

Bankside, Londres

Aberta de domingo à quinta-feira de 10:00 às 18:00

Sexta-feira e sábado de 10:00 às 22:00

Para ver outras dicas de Londres, visite nosso novo blogue, Londres para Principiantes.

Estação de metrô mais próxima: Southwark



4 October, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment

Chá das Cinco em Londres: chegue cedo!

orangery

Para descansar da maratona turística em Londres por umas horas, e ao mesmo tempo desfrutar de uma tradição local, nada como tomar um chá da tarde com os devidos acompanhamentos: sanduíches de cream cheese e pepino, delicados docinhos e os famosos scones(espécie de pão doce) acompanhados com geleia e creme.

É claro que a grande maioria dos ingleses não têm mais tempo para parar de trabalhar às cinco horas e degustar essas delícias, mas a tradição é mantida em vários restaurantes de Londres.  Hotéis como o Ritz ou o Brown’s servem o chá das cinco com toda a pompa. É preciso reservar com antecedência e o preço gira em torno de ₤40 libras por pessoa. Outro lugar requintado que oferece um excelente chá das cinco é o restaurante St. James’s da Fortnum & Mason, loja de departamentos próxima a Picadilly Circus.

Para quem prefere algo mais informal e menos caro, há também opções. O National Cafe, dentro National Gallery, oferece um chá completo por ₤16,50. Outra opção bem bacana nesta faixa de preço, testada e aprovada por mim, é a Orangery, um salão de chá que fica nos jardins do Kensington Palace. Mas fique atento porque, na Orangery, o chá é servido das 15:00 às 18:00 no verão e das 14:30 às 17:00 no inverno, portanto não espere dar 5 horas para chegar. O lugar, que era uma estufa para as árvores cítricas da rainha Anne, é lindo e vale o passeio mesmo para quem não gosta de chá. Não é preciso fazer reservas nem comprar o ingresso para a entrada no Palácio de Kensington.

Foto: divulgação Orangery

Para ver outras dicas de Londres, visite nosso blogue Londres para Principiantes.



30 September, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment

Mercados de Londres: Portobello Road

Vai estar em Londres em um sábado?

2229976853_187c34bfbc

Uma boa pedida é visitar o mercado de Portobello Road, em Notting Hill, um dos muitos mercados de rua de Londres. Se você não gosta de multidão, chegue cedo, porque a partir de 10:30 hordas de turistas e locais começam a aparecer e o lugar fica apinhado de gente. Mas não desanime, é o mercado mais simpático da cidade.

Portobello Road em um dia de verão

Portobello Road em um sábado de verão

São, na verdade, três em um: no início da rua vendem-se antiguidades, no meio comida e no final roupas e outros artigos de segunda mão. Saindo da estação de metrô Notting Hill Gate, vire à direita e siga o fluxo: todo mundo está indo para o mesmo lugar! Os primeiros quarteirões da Portobello Road são tomados por aquelas filas de casas geminadas, algumas coloridas, a cara de Notting Hill.

210775202_263b33c1f9

Casas de Notting Hill

A partir do cruzamento com a Chepstow Villas, começa a parte mais interessante do mercado, a feira de antiguidades. Os colecionadores se dirigem para as lojas, mas quem só quer mesmo bisbilhotar e fotografar, passeia pelas barraquinhas. Se você estiver procurando aquelas colheres que estão faltando no faqueiro que herdou da sua avó, lá é o lugar para encontrar. Gravuras antigas de Londres, botões dos anos sessenta, broches e anéis, uma máquina de escrever, bules e xícaras de chá, placas de latão, bolas de futebol de couro, equipamento para jogar críquete, carimbos de madeira, livros antigos, selos e moedas, estão entre os artigos – chamados de bric-à-brac-, vendidos em Portobello Road.

2229975619_45e33c8752

Tudo isto e muito mais

Continuando a descer a rua, você verá barracas de alimentos, com frutas e verduras e também pães, doces, conservas, e comida pronta. Ao contrário da feira de antiguidades, essa parte funciona de segunda a sábado e atende os moradores locais. Mais a frente, já quase debaixo do viaduto (Westway), é o setor de roupas, bijuterias, e bugigangas em geral. Além das roupas de segunda mão, é aí que alguns designers da nova geração vendem suas coleções. É neste ponto que termina a feira.

Feira em Portobello Road

Na feira em Portobello

Chegar até o final do mercado pode cansar. Mas não é preciso caminhar de volta para a estação de Notting Hill Gate. Pegue o metrô na estação Ladbroke Grove, que fica ali perto.

Nós compramos uma bola de críquete, um porta torradas  e uma placa para porta, com o aviso “beware of the cats”. E você?

Portobello Road Market
Sábados de 8:00 às 16:00 (o horário oficial é de 5:30 às 18:30)

Metrô:   Notting Hill Gate (Linhas Central, Circle e District)
Ladbroke Grove (Linha Hammersmith & City)

Para obter mais dicas de Londres, visite nosso blogue Londres para Principiantes.

Fotos: Francesc Esteve



1 September, 2009 | Written by Eneida | Comments: Add comment